Marcadores

sábado, 11 de setembro de 2010

Como será nosso fim por Amasias!


Eu ando meio apocalíptico mesmo, tanto que decidi escrever mais um pouco sobre esse tema, eu me sinto bem em escrever essas coisas, mas esse post vai ser um pouco diferente do post anterior, vou pegar um gancho que essa semana chocou o mundo, todos ouviram falar naquele pastor que disse que iria atear fogo ao Alcorão o “Super Pastor Terry Jones”. Quero deixar bem claro que não sou contra nenhuma religião, crença ou algo do gênero, as pessoas são livres pra seguir o que acham certo e aplicável as suas vidas.

Mas esse tipo de atitude vai acabar com o mundo, imaginem só, se cada um achar-se no direito de perseguir ou atacar uma religião ou pessoa só por não aceitar algo que ela prega?

Velhos erros estarão de volta, as pessoas não tem memória muito boa, ou não aprenderam na escola dominical, ou na catequese, mas a perseguição por ideologias religiosas acontece a milhares de anos, os cristãos sendo perseguidos pelos judeus e ateus na antiguidade, mas não precisamos ir muito longe, no século passado os judeus sendo perseguidos pelos nazistas o holocausto, isso que me deixa indignado às pessoas não se lembram disso, não fazem a menor força pra assimilar a ideia de que se vamos contra algo e que se isso se tornar publico podemos ter resultados desastrosos.
Aquele pastor que tem menos de 50 “ovelhas” em seu rebanho esta fazendo tanto barulho e deixando o povo muçulmano tão ofendido que não duvido nada que “os caras” mandem matar ele, sua família e suas ovelhinhas, ate ai tudo bem o cara fez muito mesmo, ele deveria ter mais coerência e ficar na dele, existem muitas outras formas de se manifestar e conseguir algo sem ter que ir na TV e falar um monte de “merda” e ofender aos outros tão incisivamente.

O problema é a revolta que os muçulmanos vão ter mesmo não queimando os livros esse cara já fez merda, e pior de tudo o “super pastor” é americano!!! Tinha pior nacionalidade pra fazer isso? Sem sombra de dúvidas não teria, por menos os caras estão queimando bandeiras, explodindo carros, cometendo atentados, isso que eu chamo de “cutucar onça com vara curta”, mas vamos viajar agora, vamos para o “Fantástico Mundo do CÃO”, essa historia é contada por um sobrevivente do fim do mundo (sobrevivente até agora):

- Meu nome é Amasias que significa “o Senhor é forte”, estranho falar assim, hoje estou com 40 anos e ganhei esse nome há alguns anos, depois que tudo aconteceu depois que os homens desistiram de viver, depois que a fé dominou a razão, os homens enlouqueceram, meu nome de batismo é Cassiano, mas depois que os sinais surgiram e a guerra começou adotei Amasias, o que vou lhes contar é a pior coisa que já e que muitos irão ver:

Estamos num futuro próximo, devido a lideres radicalistas o mundo se transformou em um campo de batalha, paises se transformaram em cinzas e religiões se transformaram em nações, nossos limites territoriais não existem mais os lideres dos paises foram mortos junto com a maioria da população, voltamos a “idade das trevas” tudo isso devido à falta de humildade e humanidade de pessoas que achavam que sua religião era melhor, que seu DEUS era mais forte, que seus seguidores eram mais numerosos, assim sem se darem conta sucessivamente os sinais do Apocalipse foram acontecendo um a um, e os poucos que tentaram alertar a população sobre isso foram aniquilados.

Me lembro como se fosse hoje, o primeiro sinal dos fins dos tempos que vi, todos os lideres religiosos deixaram a tolerância e começaram a se atacar, em algumas semanas os canais de TV só falavam naquilo muitos achavam que ia acabar, mas se enganaram profundamente, aqueles que tentaram pregar a paz foram mortos “em nome dos DEUSES”.

Uma noite estava em casa, não agüentava mais ouvir falar de brigas, assassinatos, atentados em nome de DEUS, sentei na varanda e comecei a olhar para o céu fiquei lá por alguns minutos, comecei a admirar a infinita beleza das estrelas, quando observei estrelas cadentes cortando o céu, dezenas delas, entrei chamar minha esposa para ver aquela maravilha no céu, quando entro pela sala minha esposa estava ajoelhada em frente à TV, naquele momento me deparei com o segundo sinal do fim dos tempos, não eram estrelas cadentes, era mísseis, a guerra havia começado. Por mais alguns dias os canais de TV ainda funcionaram, juntamente com os telefones e a energia elétrica, ficávamos sabendo das noticias por rádio, e foi pelo radio que fiquei sabendo do absurdo!
A guerra era por causa da fé, muitos falavam pra escondermos qualquer sinal de nossa religião, pra evitarmos sermos mortos, outros diziam onde poderíamos nos encontrar com pessoas de nossa religião para podermos sobreviver.
Tivemos que sair de casa, ela havia sido atacada a noite, queimada sem a menor pena, tenho dó de quem fez isso, eu e minha esposa fomos para um seminário, lá encontramos muitas pessoas assustadas, feridas, traumatizadas, vindas dos grandes centros, numa conversa que tive descobri que as capitais foram as primeiras a serem dizimadas, não havia sobrado nada, não entendia o porquê daquilo tudo, depois de alguns dias conversando com um bispo que ali havia se exilado comecei a entender. O mundo realmente chegara ao seu fim, homens de paz que levavam a palavra foram dominados por mentes insanas que queriam o poder e a palavra divina!

Um dia fui surpreendido por um chamado:
- Aqueles que crêem em nosso DEUS venham, aqueles que sabem por que estão aqui nos acompanhem!

Eu fui ate o local marcado, para meu espanto dentro da igreja todo o clero do local estava presente, fomos informados que o mundo havia sucumbido à guerra, não sei como tinham tantas informações, mas escutei atentamente a cada uma. O mundo estava dividido, todas as religiões entraram em guerra “A Guerra Santa” como denominavam, eles pediam que os homens que pudessem lutar fossem para o fronte de batalha, no inicio pediram, utilizaram da crença para tentar convencer os que ali estavam que lutar era a melhor alternativa, mas não precisaram de muita “lábia”, não demorou muito fomos atacados por protestantes, pareciam loucos, gritando em nome de DEUS, atacavam com o que tinham nas mãos, alguns com armas de fogo outros com foices, facões, bombas incendiárias, fomos pegos de surpresa no inicio da noite quando todos estavam na igreja orando. Pouco sobrou, eu fui dos poucos que sobreviveram, minha ultima lembrança do seminário foi ao longe quando estava me afastando do fogo, olhei para traz e vi as chamas a fumaça, mas nada podia fazer, foi então que adquiri meu novo nome Amasias, pois o ultimo sermão que ouvi em vida foi o que dizia que o homem deveria ser forte, e não sucumbir aos pecados, mesmo achando que lutar seria o maior pecado que os homens estavam cometendo naquele momento segui minha caminhada.
Durante o dia procurava me esconder e a noite andar, assim economizava energias, comida e água, buscava um local seguro, mas em muitas vezes pedia pela morte, por dezenas de dias caminhei sozinho evitando o contato com pessoas, às vezes mesmo que quisesse encontrá-las não conseguiria, foi nessa viagem que me deparei com o terceiro sinal, vi fome, senti fome, vi pragas, pestes atacando os que restavam, fervia a água antes de tomá-la, mas não sei se adiantava, sei que pra mim aquilo era um meio de me manter vivo.

À noite em minhas caminhadas por muitas vezes vi pessoas serem assassinadas, às dezenas, vi símbolos que nunca antes tinha visto, vi pessoas falarem línguas que nunca havia escutado, eis que me deparava com o quarto sinal, por isso evitava ao máximo chegar perto desses lugares e dessas pessoas, mas um dia sem querer encontrei um “mensageiro de DEUS”, estava quase amanhecendo e eu estava procurando um lugar pra dormir quando deparei-me com um ser, mais parecia um mendigo, suas roupas rasgadas, todo sujo, com um cajado nas mãos, não sei por que eu não corri, acho que por se tratar de uma só pessoa não fiquei com tanto medo, antes eu ter corrido, mas se eu tivesse temido não teria visto o quinto sinal, ao me ver ele me disse aos gritos:
- Venha até mim! Seja um de meus seguidores e conheça o paraíso!

Aos poucos fui me afastando, andando de costas e mantendo minha visão fixa no cidadão para não ser surpreendido, pois com tanto grito, não seria difícil chamar atenção de outros, mas quanto mais me afastava mais alto ele gritava e clamava que eu fosse seu servo, dizia que era messias e estava ali para arrebatar o povo, meu erro foi parar de me afastar, pois ele veio com fúria, acho que por eu não ter dado bola pra ele, foi nesse momento que cometi meu primeiro pecado, ao se aproximar com tanta raiva, não pensei duas vezes em me defender, quando vi seu cajado erguer-se ao me defender tomei o cajado de sua mão e lhe feri mortalmente, naquele dia não dormi, acho que por mais outros dias não parei de pensar naquilo, depois de um tempo comecei a ver o mundo de outra forma, não via as maldades que ocorreriam, as atrocidades que via, não eram a mesma coisa, meu coração havia esfriado! Já havia perdido a vontade de viver, já não existia mais esperança em meu coração.

Minha história acaba quando caminhava por um vale naquele dia decidi não dormir, não havia nenhum lugar seguro, então continuei minha caminhada durante o dia, já passava do meio dia, minha sombra já havia me transpassado e meu rosto já estava encharcado pelo suor, minhas vistas estavam turvas pelo sol e seu reflexo no chão árido, por um momento me senti observado, mas não estava tão preocupado com isso, pois minha fome e sede eram maior que qualquer medo ou sentido, maldita hora que meus sentidos falharam, por alguns segundos perdi a consciência, foi a hora dos inimigos atacarem, já não tinha saliva, meus lábios secos, minha vista ofuscada, sem forças fui preso e julgado ali mesmo, sem direito a defesa e sem forças para lutar ou mesmo argumentar, as ultimas palavras que ouvi para meu espanto foram:

- Pecador em nome de DEUS e do catolicismo, lhe tiramos a vida, pois não és digno de viver em meio à cristãos! Seu povo muitos levou, hoje é nosso dia, que sua alma queime no fogo do inferno!

Não tinha forças pra dizer que também era um cristão, que era católico, que era como eles, minha vida foi tirada pelo meu povo, tanto lutaram que não reconheceram um irmão, estavam tomados pelo ódio, pelo rancor, acho que foi melhor ter morrido, do que viver mais um dia nesse mundo, num mundo onde não existia mais a amizade, o amor, o carinho e a pureza, tinha saudades do mundo que conheci antes do caos, antes da vinda da besta, os que ficaram viram o ultimo sinal dos fins dos tempos.

Milhões de pessoas foram mortas, de todas as religiões poucas sobraram, em regiões afastadas, hoje creio que a “guerra” esta acabada, mas as custas de milhões de vidas, será que nossos DEUSES queriam assim?

A noite houve-se cantos de adoração, e durante o dia pessoas trabalhando pra reconstruir o mundo destruído, quem sabe um mundo melhor!



Para aqueles que conseguiram chegar ate aqui:

Hoje é o dia em que poderemos ser mais de Ti e menos de mim!

3 comentários:

  1. Apesar de longo, o texto ficou tão bom que dá vontade de terminar de ler logo, para saber o que acontece. Você está-me surpreendendo a cada dia, o seu poder de criatividade anda se sobressaindo, e é muito bom ver expressa-lá na escrita, já que hoje em dia ela anda tão esquecida.

    ResponderExcluir
  2. Caramba...
    Fio esse fico muito bom.

    ResponderExcluir
  3. Cara, religião é a cólera da humanidade....
    Sem mais...
    Bom pacas...

    ResponderExcluir